Quais desses temas você mais curte? Vamos fazer uma seleção especial pra você!










O que você procura?

Vou tentar resumir minha historia, mas sei que com quase 50 anos fica meio difícil, mas acredito que irá servir como ajuda a muitas mulheres.

Casei-me nova e fui formando minha família, tivemos três filhos e fomos crescendo profissionalmente e financeiramente.

Viajávamos sempre a Europa e até a Disney fomos. Chegamos a um patamar de classe média alta e na entrada da vida adulta dos nossos filhos, estava eu planejando uma nova lua de mel.

Malas prontas, passagens compradas para Alemanha e Áustria e eis que de repente ele diz: Eu vou viajar sozinho, já cancelei sua passagem.

E assim chegou ao fim uma história de 27 anos de casados e quase 30 juntos.

Sem aviso prévio, ele se foi para ser feliz, já que estava cansado de estar casado. Entrei em choque, meus filhos entraram em choque, os amigos, a família, enfim, todos.

Ele se foi, mas não foi só, levou todo o dinheiro e o glamour em que vivíamos. Fiquei com depressão e fui ao fundo do poço, mas tão fundo que só queria tirar a própria vida. Além disso, meus filhos e familiares sofriam junto comigo.

Em meio a tudo isso tive que contar moedas até para comprar um absorvente. Economizar no mercado e por aí vai. Guardar as roupas finas e saltos, pois já não tinha motivo para usar.

Me descobri a pior das profissionais, já que com uma formação em psicologia, como eu estava jogada depressiva em uma cama?

Me descobri uma pessoa chata, arrogante e fui em busca de mim mesma. Nesse processo me senti sendo passada no moedor de carne 20 vezes. Passa uma, mas ainda não estava bom, passa mais uma dúzia.

Me libertei de toda chatice, de todo preconceito, de todos os tabus, me libertei de tudo.

Como eu cresci, como eu amadureci.

Fiquei três anos sozinha só curando a mim mesma e me descobrindo, ou redescobrindo como mulher, mãe, solteira e a dona do lar. Eu me perdi de mim mesma e precisava descobrir o porquê disso.

Três anos e 23 kg a menos depois, estava pronta novamente para abrir meu coração. Encontrei uma pessoa maravilhosa, madura e muito sensível, cheia de defeitos e problemas que juntos tomamos a decisão de nos ajudar a curar todo nosso passado e foi incrível.

Quando após quase dois anos ele se libertou de verdade do passado, decidimos morar juntos e eis que três dias antes da minha chegada, ele sofreu um acidente fatal na empresa.

Foi muito dolorido, mas vivi meu luto como se deve e agradeci a ele o tempo que passamos juntos e tudo que aprendemos um com o outro. Ele se foi e levou um pedaço de mim, mas me deixou de herança dois pedaços dele que são suas filhas, que se tornaram minhas.

Pude agradecer mentalmente meu ex por ter saído de casa, pois nos deu a chance de crescer, de sair da zona de conforto e permitir que pessoas incríveis chegassem na minha vida.

Meus filhos voaram e eu fico cada dia mais feliz por eles, já casei uma filha que me deu netos maravilhosos, caso mais uma em abril e o caçula está evoluindo a cada dia e com quase 20 anos está se tornando um homem incrível. Mas eu dei asas, nada de síndrome do ninho vazio.

Hoje eu estou resgatando meus sonhos que guardei por um tempo para cuidar deles. Tenho tempo ainda, esse ano completo 50 e vivo feliz, com 10% do que vivia quando casada, mas a mulher mais feliz do mundo.

Tenho amores que vem e vão e não tenho medo de amar, já não sofro mais com isso. Para quem teve um divórcio que envolvia anos, filhos e família, já não tem porque sofrer por outras coisas, quem já perdeu um grande amor para a morte, já não tem medo de perder mais nada.

O negócio é viver.

Dá sim para sair disso tudo, me curei sozinha da depressão e de todas as doenças que eu mesma estava produzindo, incluindo a fibromialgia.

Quando bate saudade dos filhos, pego a mochila e vou matar a saudade, eu já vivi minha vida e não é justo que eu os impeça de viver a história deles.

Sabe quando você tem uma ferida? Não fique com ela aberta mostrando a todo mundo, se lamentando que alguém a feriu. Dê os seus próprios pontos, a ferida vai fechar, cicatrizar e você vai seguir em frente. Toda vez que você a ver, vai lembrar do que aconteceu. E então ela só será uma marca e que um dia doeu.

A responsabilidade de tudo que te acontece é sua, ou você a provoca ou você permite que façam com você. Então levante, assuma sua responsabilidade e lute como uma guerreira.

Vai doer, você vai querer desistir, mas não desanime. Você vai conseguir a vitória!

Ah e se puder dar uma dica: se no meio do processo você for mãe, deixe seus filhos viverem as próprias vidas. Você já viveu sua história, permita que eles tenham o direito de viver a deles.

Agora é com você sua linda!

Doeu gente, mas doeu muitíssimo e não sabia que o ser humano poderia produzir tantas lágrimas hahaha, mas descobri que o voo da Fênix é real.

Imagem: Unsplash

@ load more