Quais desses temas você mais curte? Vamos fazer uma seleção especial pra você!










O que você procura?

Tomei café da manhã com Bauman enquanto refletia sobre a fragilidade das relações humanas. Hoje as coisas não existem para durar, é como se os relacionamentos fossem telas de celulares rachadas, em que o conserto fica mais caro do que comprar um novo, então trocamos, afinal, é mais vantajoso.

A gente amadureceu tanto que estragou. Estamos tão autossuficientes que não nos importamos mais em ser abrigo ou encontrar-se seguro em alguém. Aliás, não se pode mais demonstrar amor porque isso este está associado à fraqueza.

E a gente precisa se manter seguro porque estar apaixonado por alguém é como armar acampamento em um campo minado cujo nome é felicidade. E embora você esteja onde deveria estar, um passo em falso e você pode se machucar. Com isso, você não hesita em fazer suas malas e ir habitar em um lugar mais seguro. Tudo bem, eu entendo você.

Mas a verdade é que as pessoas estão perdendo a noção entre a linha tênue que separa carência de companheirismo.

Carência é quando você se associa à pessoas que te fazem mal, mas que de alguma forma te trazem a segurança de não estar só. É como uma tentativa frustrada de maquiar o vazio que a gente sente, em consequência da nossa vida vazia de afeto.

Companheirismo não, companheirismo é aquela doce certeza que você tem com quem contar. De que você tem alguém que te compreende – e que se não compreende tem paciência para tentar. Companheirismo é saber que alguém pode ter diversas prioridades que não sejam você, mas que você também poder ser uma delas.

Companheirismo é entender a dor do outro mesmo quando ele não fala, é entender o silêncio. Companheirismo é aceitar o outro apesar dos defeitos, das dificuldades, é saltar de mãos dadas, é escolher um lado do muro independentemente do que existe lá. Companheirismo é não desistir diante das dificuldades, é tentar encaixar-se na vida do outro sem perder a sua individualidade, é ser seu melhor amigo antes de ser o seu amor.

Companheirismo é a maior prova de amor!

As relações não duram porque a gente quer receber aquilo que não está disposto a doar, ninguém quer dar o primeiro passo porque o medo de se machucar é maior do que a vontade de ser feliz. A verdade é que a gente esqueceu como é ser companheiro e aprendeu a ser dono uns dos outros. A gente aprendeu a se bastar tanto, que as pessoas passam a não importar mais.

Mas a verdade é que sempre existe uma luz no fim do túnel, como diz o clichê. A gente só precisa tentar mais uma vez, mesmo que a gente não acredite nem por um segundo que de um simples “Olá”, possa nascer um amor.

E que a gente se lembre de como é sermos dois, sermos três, de como é bom ter com quem dividir a vida, um problema, um filme ou um pôr-do-sol. E que a gente saiba que se em algum momento a gente perder o controle, nós temos alguém pra nos mostrar o caminho de volta.

companheirismo

“Como se pode lutar contra as adversidades do destino sozinho, sem a ajuda de amigos fiéis e dedicados, sem um companheiro de vida, pronto para compartilhar os altos e baixos?” – Zygmunt Bauman

Imagem: via Pinterest

@ load more