Quais desses temas você mais curte? Vamos fazer uma seleção especial pra você!










O que você procura?

Quantas vezes nos sentimos presas em algo que não temos controle para encerrar?

Já perdi as contas de quantas horas desperdicei pensando em coisas que podem acontecer ou não. Aquele momento em que nos sentimos como um hamster, correndo e correndo sem sair do lugar.

Minha dica para esse tipo de situação e sentimento é:

Vá viajar!

Trabalho com viagens, meu papel é vender o destino certo para a necessidade do cliente. Em minhas consultorias eu sempre tento entender o que levou aquela pessoa a me procurar e porque ela quer tanto viajar ou “sumir do mapa”, como alguns deles dizem.

Já vendi para o jovem que quer uma oportunidade de fazer algo por conta própria sem depender dos pais e para a garota que terminou com o namorado e precisa de um tempo para pensar. Já vendi para a mulher que precisa de um break no trabalho e para o cara que pediu demissão do banco para não ficar louco.

Teve a moça que perdeu o noivo em um acidente de moto e quis ir para um lugar tranquilo para tentar se refazer, confesso que essa mexeu comigo, ela era bem jovem. Vendi também para mães e avós que na juventude não puderam viajar e agora que podem foram aproveitar a vida.

Também tiveram amigos, irmãos e parceiros recomeçando em países diferentes, por ter se cansado da rotina ou se cansado de tentar algo que não sai do papel, sabe aqueles projetos que nem sempre dependem da gente?

E sabe o que todas essas pessoas têm em comum?

A vontade de ser livre. E viajar é liberdade.

Os destinos são variados, tem gente que precisa descansar e quer praia, silêncio e uma vista bonita. Para os amantes da noite, sugiro grandes centros, nessas cidades você jamais ficará sem ter o que fazer. Para os que precisam ocupar a cabeça, escolha cidades grandes e cheias de movimento, daquelas bem turísticas mesmo, com os clássicos turistas com câmeras no pescoço e mapa da cidade na mão. E para os que querem se conectar com a natureza, cidades com montanhas e alpes são as melhores opções.

Depois que o destino é escolhido é só aguardar o grande dia. E quando ele chega, vem aquela sensação gostosa de acordar cedo (possivelmente nem dormir) e saber que dali algumas horas você irá viver uma nova experiência.

Conhecer uma cultura nova, ouvir uma língua desconhecida, dançar uma música nativa, comer uma iguaria típica, essas coisas nutrem nossa alma e aquecem nosso coração.

Essa liberdade faz bem para qualquer pessoa, qualquer idade.

É uma terapia que podemos fazer sozinhos ou acompanhados. É uma solução maravilhosa para aqueles momentos de desespero em que achamos que nada pode nos deixar felizes.

Que problema que não é esquecido ao sentir o vento no topo de um montanha?

Que dor que não dá um descanso com um sorvete em uma praça num domingo a tarde?

Que amargura que não passa com um café e um croissant quentinho em um bistrô parisiense?

Ah, e claro, ainda há a chance de viver um novo amor, uma nova história. Para as românticas de plantão, essa é a grande aposta. Não há mal que uma viagem não cure. Viajar é preciso, viver também.

Vá viajar!

@ load more