Quais desses temas você mais curte? Vamos fazer uma seleção especial pra você!










O que você procura?

Uma das formas mais eficientes de se empoderar é viajar sozinha! Sair por esse mundão te torna ainda mais autoconfiante e independente (afinal, você dependerá apenas de si mesma). Além disso, tem também toda a questão de solitude, que te permite se conhecer melhor e te encoraja a superar seus medos e quebrar paradigmas.

Então olha: chega de pensar que viajar sozinha é uma coisa complicada, cara, perigosa e coisa e tal, ok? Pode ficar tranquila que com esse guia aqui você vai conseguir voar longe! Descubra o quanto o mundo é MUITO maior e mais rico do que se pensa, e torne-se uma pessoa muito mais “sabida” e precavida quando o assunto for ‘viagens’.

viajar sozinha

Vamos aos finalmentes então, né? Hoje você vai aprender a:

  1. Montar um roteiro super bacana com base em pesquisas tranquilas e bate-papos com pessoas que já viajaram para onde você quer ir;
  2. Saber cuidar do seu dinheiro bem direitinho para que seu passeio possa ser aproveitado ao máximo sem nenhum tipo de dor de cabeça;
  3. Ter consciência de todos os seus pontos de cartão de crédito e MPLU e o que fazer com eles;
  4. A se proteger e se sentir mais segura durante todo o trajeto/passeio;
  5. E a se organizar e arrumar as malas do jeito mais prático e objetivo o possível!

E aí, #partiu?

Do dinheiro ao roteiro: o guia de como viajar sozinha sem medos e complicações.

Primeiro passo: escolhendo o seu destino

viajar sozinha - 2

Uma das coisas mais importantes na hora de planejarmos uma viagem solo é termos em mente o tipo de passeio que queremos fazer, quanto podemos gastar e, é claro, levar em conta o nosso perfil de viajante. Uma pessoa bem preguiçosa tipo eu, por exemplo, NUNCA ia topar fazer o famoso Caminho de Santiago de Compostela, sacou?

Caso você tenha alguma dificuldade para se lembrar desses tópicos, sem neura! Preparamos aqui uma pequena descrição de alguns perfis de viajantes que você pode se identificar e começar seu planejamento para viajar sozinha a partir daí. Olha só:

Que tipo de viajante é você?

Perfil Histórico-cultural: é quando a pessoa se dispõe a conhecer novos lugares e a aprender sobre outras culturas. O roteiro ideal para uma pessoa desse perfil é aquele que explora pontos turísticos, cidades históricas, museus, monumentos e etc.

Sugestões: Salvador (Bahia), Pequim (China), Paris (França), Edimburgo (Escócia), Roma (Itália).

Perfil baladeiro: cair na gandaia é lei! Esse perfil engloba pessoas que gostam de aproveitar bastante os dias e as noites com todo tipo de atração que o local tem a oferecer. É o caso de quem viaja durante o carnaval para uma cidade em que a festa definitivamente não para (como Rio de Janeiro ou Ouro Preto), ou de quem sonha em conhecer todos os pubs europeus possíveis em 15 dias. Se você acha que a noite é uma criança e quer se jogar no mundo deixando o ritmo te levar, seu lugar é aqui.

Sugestões: Porto Seguro (Bahia), Rio de Janeiro (Rio de Janeiro), São Paulo (São Paulo), Las Vegas (Estados Unidos), Amsterdam (Holanda), Cancún (México), Nova York (Estados Unidos) e Punta del Este (Uruguai).

Perfil aventureiro: se encaixa nesse perfil aquela pessoa que gosta de aproveitar os passeios para praticar alguma atividade física ou se submeter a algum tipo de “lazer radical” (tipo pular de paraquedas ou bungee jump). Aqui, por exemplo, aquele Caminho de Santiago de Compostela cairia super bem. Não precisa ser atleta e nem viver no limite. Basta ter sede e vontade de colocar a mão na massa e sair por aí admirando as coisas belas que o mundo tem para nos oferecer.

Sugestões: Foz do Iguaçu (Tríplice fronteira – Brasil, Argentina e Paraguai), Acapulco (México), Shanghai (China) e Machu Picchu (Peru).

Perfil Consumista: esse é fácil, né? Aqui se encaixa a pessoa que gosta MUITO de fazer compras (seja dentro ou fora do país) durante os passeios.

Sugestões: São Paulo (São Paulo), Rio de Janeiro (Rio de Janeiro), Miami, Orlando e Nova York (Estados Unidos), Buenos Aires (Argentina), Ciudad del Este (Paraguai), Tóquio (Japão) e Hong Kong (China).

Definindo a melhor época para viajar

Beleza, já temos o local. Chegou a hora de pensarmos nas possíveis datas. É importante ter em mente qual estação do ano mais te agrada, e tentar casar essa informação com a sua agenda.

Um exemplo: você quer viajar sozinha para conhecer novos lugares mas, principalmente, para descansar. Seu clima favorito é o frio e o local ideal é aquele que não esteja entupido de turistas.

Como fazer: planeje o seu ano e combine com sua/seu chefe e família, desde cedo, a temporada que você deseja tirar suas férias. O resultado disso tudo pode ser, por exemplo, a cidade de Joinville (Santa Catarina) um pouco antes ou depois da temporada de férias de junho/julho. Sacou?

Assim, você não corre o risco de ficar o dia inteiro trancada porque o clima não está favorável ao seu tipo de passeio!

Buscando contatos e referências

Procure sempre por pessoas que já viajaram para onde você quer ir e pergunte TUDO o que quer saber para elas. Peça por dicas de lugares bacanas para se hospedar. Descubra quais são os melhores pontos turísticos, os programas culturais mais divertidos que o lugar disponibiliza e qual roteiro seria mais em conta para não perder nem o seu tempo, e nem seu dinheiro.

Peça por dicas de feiras e comércios locais para aproveitar e conhecer toda a cultura do lugar e ainda contribuir com as pessoas que moram por lá e tente fugir, de vez em quando, dos espaços mais turísticos e famosos para conhecer algumas sutilezas que podem fazer todo o passeio valer à pena.

Minha sugestão é postar para os seus amigos no Facebook mesmo! O pessoal adora dar dicas por lá, sempre funciona!

Ah! A Multiplus (uma empresa de redes de fidelidade da qual falaremos daqui a pouquinho) possui diversos conteúdos que vão te ajudar a planejar a sua viagem. Para acessar o blog deles, basta clicar aqui.

Caso a viagem seja internacional, procure praticar o mínimo para se comunicar no idioma oficial de lá

Sim, todas nós sabemos que o inglês é um dos idiomas mais falados no mundo inteiro, mas nem todo mundo do lugar para onde você vai é OBRIGADO a sabê-lo. Sendo assim, procure pela internet mesmo, compre um dicionário pequenininho ou até mesmo utilize a ferramenta do Google Tradutor.

Faltando mais ou menos um mês para sua viagem, procure aprender o maior número de termos gerais desse novo idioma em questão. São exemplos: “onde fica tal lugar”, “não sei falar a sua língua”, “meu nome é…”, “como faço para…”, “quanto custa”, “obrigada”, “por favor”, etc.

Segundo passo: planejamento financeiro de A a Z

viajar sozinha 5

Me ajude, eu sou pobre.

O primeiro passo (e talvez o mais importante) para começar a sua jornada e viajar sozinha é saber administrar o seu dinheiro. Uma coisa que queremos que você coloque na cabeça é que sim, dá para viajar gastando pouco (ou quase nada). Porém, para isso, é preciso criar uma relação mais atenta e saudável com a sua grana. Saber quanto entra, quanto sai, quanto se deve economizar, poupar e etc.

Faça do cartão de crédito uma peça ESSENCIAL do seu planejamento

Você usa muito cartão de crédito no seu dia a dia? Tem noção de quanto gasta por mês, e com quais tipos de coisas (comida, lazer, remédios, contas)? Bem, essas informações são indispensáveis para uma pessoa que quer aproveitar a vida ao máximo sem ter que gastar por CADA experiência. E como isso é possível? Pontos!

Transformando o seu cotidiano em viagens

E se eu te contasse que a cada comprinha que fazemos, estamos a mais um passo de uma viagem inesquecível? Bem, esse é o propósito da Multiplus, por exemplo. Pera, você não sabe o que ela faz? Sem problemas, te explico AGORA:

Sabe quando você vai tomar um sorvete e, na hora de pagar, recebe um cuponzinho que te permite ganhar uma rodada de graça se você faz um número X de compras no mesmo local? E aí, a partir desse dia, você começa a voltar no lugar toda vez que quer uma sobremesinha porque sabe que, ao completar esse papelzinho, a casquinha mais gostosa do rolê será por conta da casa? Pois é! Entrar nessa espiral é fazer parte de um programa de fidelidade.

Então resumindo? Um sistema de fidelidade é uma técnica de uma empresa e/ou marca para manter seus clientes. “Luísa do céu, que que isso tem a ver com a realização do meu sonho de viajar pra Disney sem atrasar meus boletos?”. Ahá, pois então! Agora é que a coisa vai ficar boa de verdade!

Acontece que a Multiplus é uma rede de fidelidade que conta com cerca de 300 parceiros que, ao terem seus produtos e/ou serviços comprados, disponibilizam uma quantidade X de pontos que podem ser aproveitados em outras compras! É só trocar aquele sabor premiado da sorveteria que te dei de exemplo por uma GAMA gigantesca de possibilidades.

Ou seja: toda vez que uma compra (seja ela essencial ou não) com qualquer um desses parceiros for realizada, você ganha pontos que podem ser trocados por passagens aéreas, estadias em hotéis e diversos outros produtos que variam de eletrodomésticos até itens de farmácia.

Tá vendo? É comprando o absorvente nosso de cada ciclo, por exemplo, que você vai conseguir realizar o seu sonho de viajar pra Disney de graça, meu amor. Se você quiser saber quais são os vários parceiros deles (entre eles, vários hotéis e Airbnb!), veja aqui.

#Foco

Então vamos lá! Já que lançamos a ideia da rede de fidelidades, não poderíamos deixar de te explicar como todo esse processo funciona, né?

Suponhamos que você queira comprar um celular. Sua escolha foi um Zenfone 4, e a loja foi a PontoFrio.com (parceira). Na Multiplus, 1 real gasto pode equivaler de 1 a 10 pontos (dependendo da oferta vigente). Fazendo as contas, você terá acumulado cerca de 17.000 pontos. Agora, ainda nesse mês, você tem um chá de bebês para ir e decide dar uma roupinha da Zattini (também parceira) para a nenê. Você encontra um Bodyzinho super gracinha e paga nele 30 reais. Só nessa brincadeira, já acumulamos mais 60 pontos, certo? Por fim, quero que você analise todos os aspectos do seu dia a dia (como pegar um Cabify, abastecer o carro no posto Ipiranga ou fazer alguma compra online com PayPal) e perceba que é possível acumular cerca de 2.000 pontos fácil fácil.

Sendo assim, a passagem de sua viagem programada para o meio do ano, por exemplo, já está paga. Só para se ter uma ideia, uma passagem de São Paulo para Curitiba (ótimo destino para quem gosta do inverno) pela LATAM Airlines pode chegar a custar 3.500 pontos Multiplus. Fenomenal, né? Você só terá que se preocupar com as taxas extras como a de embarque, por exemplo. Muito chuchuzinho isso.

Bem, sabendo da existência dessa rede de fidelidades, já entendemos, então, como podemos conseguir as passagens e estadias na hora de viajar sozinha, certo? Pois bem, chegou a hora de se planejar.

Fique de olho em seus pontos e economias

Se preferir, monte uma planilha com todos os seus gastos e ganhos e, a partir dela, calcule quanto você pode destinar à sua viagem para que ela seja incrível. Além disso, fique de olho nas cotações das moedas (como dólar, euro e etc) para saber quais destinos valem mais à pena.

Além disso, com a Multiplus você consegue, inclusive, transferir as milhas que você já tem no cartão de crédito, ou em programas parceiros como KM de Vantagens do Ipiranga e, assim, ter ainda mais pontos para poder viajar sozinha! Então é pra ficar de olho MESMO!

Dinheiro e imprevisto são dois termos que devem combinar SEMPRE

Dependendo do lugar que você for, a casa de câmbio (que é onde você converte o seu dinheiro para a moeda do local) pode estar fechada, os caixas eletrônicos inacessíveis e, por algum motivo, seu cartão não pode ser usado naquele momento. Chato demais, né?

Para que nada disso aconteça, separe uma quantia do seu orçamento de viagem para esses tipos de situações e converta-a para a moeda do local ainda aqui no Brasil (caso a viagem seja por aqui mesmo, é só sacar essa quantia no caixa e guardá-la com muito cuidado). Chegando lá, deixe esse dinheirinho guardado no cofre do hotel, ou em algum local seguro (vamos te apresentar as possibilidades daqui a pouquinho), e procure gastá-lo APENAS em emergências até o fim da viagem.

Antes sobrar do que faltar

Procure SEMPRE levar mais dinheiro para a viagem do que a quantia estabelecida em seu orçamento. Afinal, o preço das coisas pode mudar a qualquer momento, imprevistos podem acontecer duma hora pra outra e por aí vai. Só que veja bem: NÃO É PARA GASTAR ESSA GRANA. Finja que ela nem existe e procure se lembrar dela só quando REALMENTE for preciso, ok?

E como saber QUANTO levar, especificamente? Bem, uma boa dica é pesquisar por informações online (como o preço médio dos cardápios de lugares do seu gosto, o custo dos meios de transporte, o valor de cada atração que você quer visitar) e adicionar o equivalente a, pelo menos, um terço disso para as devidas precauções.

Existe um site ótimo para isso que se chama Quanto Custa Viajar. Lá, você consegue estimar um valor médio para cada viagem que fizer! Para começar a planejar o seu passeio calculando os possíveis gastos que tiver, basta clicar aqui.

Nunca deixe uma oportunidade escapar

Você tá lá, curtindo a viagem, e precisa fazer uma comprinha básica. Procure pesquisar por opções que estejam dentro da lista de parceiros da Multiplus, por exemplo, e continue acumulando pontos sem parar. Dessa forma, uma viagem vai levando à outra e assim por diante!

Sobre os pontos

Se você ainda não está familiarizada com como passar os pontos do seu cartão para o seu programa de fidelidade, e aí poder comprar as passagens sem gastar quase nada, é só clicar aqui que a empresa vai te explicar tudo direitinho!

Terceiro passo: viajando com segurança

viajar sozinha - 1

Ok, você já entende mais sobre o lugar que deseja visitar, já sabe as alternativas mais seguras financeiramente que deve adotar e, agora, vamos aprender a cuidar da própria segurança no dia a dia para viajar sozinha com tranquilidade.

Um dia antes de viajar

Você pode se sentir mais segura se passar seu itinerário a pelo menos duas pessoas de confiança (mãe, irmã, namorado ou melhor amiga, por exemplo). Assim, caso algo saia do esperado, elas ficarão em alerta do lado de cá! Uma boa estratégia, é, também, fazer uma lista de todos os contatos de todos os hotéis que pretende se hospedar e combine com a pessoa algum tipo de rotina, como mandar uma foto por dia em tal horário e por aí vai. O que funcionar melhor para você se sentir amparada.

Leve uma bolsinha com medicamentos que consigam suprir a todas as suas necessidades (e que dêem conta de superar alguns imprevistos)

Você costuma passar mal em viagens? Ou toma algum tipo de remédio controlado? Bem, pense em todas as opções possíveis de medicamentos levando em conta todo o seu histórico (como enxaquecas frequentes, cólicas terríveis e por aí vai) e monte uma bolsinha com todos eles. Afinal, não se sabe se o lugar para onde você vai tem farmácia disponível, ou ainda se tem o tipo de remédio específico que você costuma tomar.

Procure chegar ao local durante o dia

Seja de avião, ônibus, carro, trem ou qualquer outro meio de transporte, certifique-se de que o horário de chegada ao seu destino seja durante o dia (mais precisamente quando está claro, afinal, existem países que começam a anoitecer já às 16 horas). Os motivos são óbvios, mas não é por isso que devemos deixar de citá-los, né? Com tudo clarinho, você se sentirá mais segura durante o caminho até onde você vai se hospedar, e ainda será capaz de dar aquela escaneada no lugar, identificando possíveis pontos turísticos e estabelecimentos essenciais (como farmácia, supermercado e etc). E é claro: aproveitar toda a nova vista já de cara, assim que chegar, fará toda a diferença!

Faça um seguro de viagens

Existem diversos seguros de viagens dos quais você pode usufruir para viajar mais tranquila. A Multiplus mesmo tem um! O intuito de contratar esse tipo de serviço é se sentir amparada em qualquer canto desse mundão, sabe? Principalmente se você está planejando fazer uma viagem de esportes radicais, como esqui, pelo amor de Deus, não deixe de fazer um seguro. Alguns planos, inclusive, cobrem desde o socorro médico até reembolso de bagagens extraviadas, cancelamentos, atrasos de viagem, etc. É só dar uma pesquisadinha básica e encontrar aquele que mais possa lhe ser útil!

E olha, vale a pena ressaltar que, com a Multiplus, por exemplo, você contrata o seguro necessário e, com isso, garante ainda mais pontos para a sua próxima viagem. Sério: basta respirar para conseguir acumular esses pontinhos tão valiosos.

Registre-se no IAMAT (Associação Internacional de Assistência Médica a Viajantes)

Ok, suponhamos que o seguro de viagens foi feito e o seu destino é a China (mesmo sem saber falar o idioma oficial de lá). Daí, na hora de se consultar com um médico, a comunicação entre vocês é péssima porque ele, infelizmente, não sabe falar inglês.

Bem, é pra isso que o IAMAT serve. Ele garante que você seja atendida/socorrida em qualquer canto do mundo por profissionais fluentes em inglês. Além disso, o site da associação te mostra os potenciais riscos à sua saúde do lugar o qual você quer visitar e, assim, facilitar a sua vida quanto às precauções necessárias para fazer uma viagem perfeita (como tomar vacinas, escolher os melhores locais para se hospedar, comprar máscaras e etc).

Bônus: sobre vacinas e o Certificado Internacional de Vacinação ou Profilaxia (CIVP) – caso seu destino seja o exterior, existem alguns países que exigem a vacina de febre amarela, dentre outras doenças. Para saber como se tira esse certificado, e quais são estes países, basta clicar, respectivamente, aqui e aqui.

Quarto e último passo: malas e organização

viajar sozinha 4

Mantenha todos os itens importantes “na mão”

Quando digo “na mão”, me refiro a um lugar o qual você tenha fácil acesso a eles (e que seja destinado APENAS para guardá-los. É o caso de eleger uma repartição da sua bolsa para colocar seus documentos como RG, Passaportes, passagens e etc. Não coloque mais nada nesses locais e mantenha-se sempre organizada e consciente de tudo que carrega e onde cada uma de suas coisas está.

Tente levar o mínimo de coisas possível

Fazer a mala já é difícil, né? Imagina ter que deixar algumas coisas de lado então? Bem, é essa habilidade que vamos te ensinar a exercer! Afinal, lembre-se sempre de que quanto mais coisas você levar, mais difícil será para se locomover, se organizar, despachar a bagagem e por aí.

O segredo ao viajar sozinha é ser prática e objetiva. Escolha roupas que não se amarrotam fácil e possa usar mais de uma vez. Para isso, basta escolher peças básicas que possibilitem uma diversidade maior de looks.

Se possível, tente manter sempre as mãos livres (tenha uma mala de rodinhas e uma bolsa para te acompanhar no avião).

Separe uma mudinha de roupas e itens essenciais e leve-os dentro da bolsa

Calcinha, ao menos uma blusa e uma calça, uma camisolinha e uma bolsinha com pasta de dente e escova são importantíssimos nas horas de aperto. Principalmente quando sua mala corre o risco de ser extraviada.

Além disso, leve consigo SEMPRE uma bateria externa para carregar seu celular, e anote em um papel TODAS as informações possíveis para que você não dependa exclusivamente de tecnologia para se virar.

Os contatos e dados mais importantes são: telefones e endereços dos lugares onde você vai se hospedar, e do consulado e embaixadas brasileiras que o local tiver; uma cópia autenticada dos seus documentos (passaporte, RG e CPF); as datas, locais e horas dos seus vôos (e/ou passagens de ônibus, de trem, navios e etc).

Dica útil: compre um chip local

Se sua viagem for internacional, um pacote de dados que funcione fora do Brasil pode ser extremamente útil na hora de se comunicar com alguém (seja para matar saudades ou para pedir por ajuda). Ou então veja se a sua operadora tem algum plano viagem que valha a pena.

Use a queridinha dos viajantes (“doleira”)

As doleiras são praticamente “pochetes customizadas para viagens”. Elas são discretas (você pode até colocá-las por debaixo da blusa) e possuem capacidade para carregar seu dinheiro e documentos com segurança e conforto.

Resumindo:

  1. Não precisa ter medo de viajar sozinha por ser mulher. Toda essa experiência pode ser muito mais empoderadora do que se imagina;
  2. Pesquise bastante sobre os locais os quais vocês quer conhecer, levando em consideração o seu perfil viajante, e programe a melhor data possível para que tudo corra conforme o esperado;
  3. Não tenha medo de arranhar outros idiomas;
  4. Saiba administrar a sua grana, conhecendo e aproveitando ao máximo todos os benefícios que seus gastos podem te oferecer;
  5. Organize sua mala direitinho, elegendo bolsos estratégicos para colocar seus documentos, levando somente as roupinhas básicas e carregando uma bolsinha com remedinhos e coisinhas para imprevistos (como escova de dentes e absorventes);
  6. Faça questão de pesquisar sobre como você pode garantir a sua segurança durante sua viagem;
  7. Se joga no mundo!

E então, preparada para perder o medo de viajar sozinha?

Viajar sozinha é uma experiência empoderadora 1

Miga, bota a cara no sol, sabe? Vá celebrar a vida e, principalmente, fazer tudo isso sem ter dor de cabeça por conta de grana! Colecione histórias, e não medos. 😉

Imagem: Reprodução / Before Sunrise

Assinatura-Multiplus

@ load more