Quais desses temas você mais curte? Vamos fazer uma seleção especial pra você!










O que você procura?

Já faz um tempo que a frase “lugar de mulher é onde ela quiser” vem deixando de ser apenas teoria e ganhando mais e mais força na prática. Vale para o mercado de trabalho, para escolhas pessoais e profissionais, relacionamentos e, também, para viagens. Algumas mulheres estão descobrindo que são ótimas companhias para si mesmas e saindo sozinhas para desbravar o mundo.

Mas viajar sozinha ainda envolve muitas questões como preconceitos, medos, julgamentos. Como assim uma mulher sem companhia? Não tem namorado? O namorado deixou? O que vão pensar de você? E se alguma coisa acontecer? Está querendo ser independente demais… Na sociedade machista em que ainda vivemos, ser mulher não é fácil nem na própria cidade, muitas não estão seguras nem dentro de suas casas e sair pelo mundo, ainda mais sozinha, pode parecer difícil. Mas estamos aí quebrando essas barreiras e mostrando que é possível.

Eu fiz minha primeira viagem sozinha em 2013 e sei bem todas as inseguranças que passam por nossa cabeça antes de enfrentar o desafio. Tinha tirado férias, não sabia de mais ninguém que pudesse viajar naquele mesmo período e, depois de muito pensar, acabei optando por ir mesmo assim. Escolhi um destino que talvez seja até um pouco inusitado: Cuba. Eu tinha muita vontade de conhecer, mas nunca ninguém queria, então fui deixando. Até que juntei as duas coisas e acabou dando certo.

Foi uma experiência diferente e transformadora, com seus pontos positivos e negativos, como tudo. Mas voltei certa de que tinha descoberto uma nova forma de poder viajar, de vivenciar a liberdade. E, a partir daí, não parei. É sempre um processo de autoconhecimento. A cada viagem que faço, seja no Brasil ou no exterior, aprendo um pouco mais e volto diferente, transformada.

E nem é preciso estar necessariamente viajando. Com o tempo fui percebendo o quanto nós, mulheres, ainda nos privamos (ou somos privadas) de fazer coisas sem precisar ter alguém junto. No dia a dia, aprender a estar na própria companhia também é muito importante.

Vale lembrar que viajar sozinha ou fazer qualquer coisa sozinha não significa gostar de ser sozinha. É diferente. Pode ser uma necessidade do momento, ou pode ser uma situação de estar mesmo com poucos amigos, uma fase mais isolada… É ótimo ter alguém, estar no meio de mais gente, mas é muito bom saber curtir estando com você mesma. Conseguir colocar isso em prática só engrandece e até facilita certos processos. É a diferença entre a solidão e a solitude, que é aproveitar o prazer que a privacidade proporciona.

Hoje levanto a bandeira de incentivar cada vez mais mulheres a se descobrirem boas companhias para si mesmas, a não se privarem de sair ou fazer o que desejam. A viajarem sozinhas. Se você tem esta vontade e não sabe bem por onde começar, compartilho algumas dicas que podem te ajudar!

5 dicas essenciais para viajar sozinha

1. Escolher um destino que te agrade

Não existe destino ideal para viajar sozinha. Tudo vai depender do estilo de cada pessoa, do que cada uma tem vontade de conhecer. A viagem incrível que alguém fez pode ser um tédio para outra pessoa e vice-versa. Então é preciso pensar no que você gosta: lugares mais calmos ou agitados, urbanos ou pacatos, praia ou serra, tudo isso é importante no processo de decisão. Sempre digo que quanto mais vontade você tem de conhecer um destino, mais feliz você vai estar ao conseguir realizar este desejo e mais à vontade vai estar durante a viagem. Questões de segurança também devem ser levadas em consideração – infelizmente a gente ainda precisa abrir mão de algumas coisas para evitar que alguma coisa ruim aconteça.

Outra dica é começar devagar, por lugares mais próximos e períodos menores. Um bate e volta, um fim de semana, um feriado curto. Assim você vai aos poucos se adaptando a este estilo de viagem. Estar em um destino bem distante por um longo tempo, sendo a primeira vez, pode ser mais complicado de se adaptar e, consequentemente, você pode não gostar tanto.

Imagem de denkendewolke por Pixabay

2. Pesquisar e se planejar bastante

A internet é um facilitador, seja para ver dicas e fotos dos locais, como, também, para ler histórias de mulheres que já viajaram sozinhas e se inspirar. Quanto mais informações você tiver antes de embarcar, mais segura você vai se sentir e menos chances de passar por algum problema.

Depois de escolher o destino, veja tudo o que puder sobre ele. Escolha a melhor região para se hospedar, perto dos pontos que pretende conhecer ou com facilidade de transporte. Buscar uma boa hospedagem, mesmo que tenha de pagar um pouco mais para isso, vale a pena.

Saiba também quais os principais passeios, talvez seja interessante contratar uma agência local, particularmente acho ótimo, porque você vai estar em grupo, tem chances de conhecer mais gente e, principalmente, a questão de segurança.

3. Começar a fazer pequenas coisas sozinha

Quem nunca viajou sozinha e não tem costume de estar só, talvez estranhe em um primeiro momento. Então que tal, antes, começar a fazer isso no dia a dia? Sair para um passeio, uma caminhada, ir a um bairro diferente, passar o dia na cidade vizinha, jantar em um restaurante, ir ao cinema, enfim…

Há muita coisa que é possível fazer sozinha para se acostumar com a própria companhia ou para entender, aos poucos, como você se sente nestas situações. Tudo isso vai ajudar a estar mais confortável quando for encarar uma viagem.

Imagem de Jerzy Górecki por Pixabay

4. Estar aberta para o novo

Sempre digo que não adianta mudar de lugar e continuar fechada em si mesma. Mesmo que não se sinta à vontade para fazer amizades ou começar uma conversa com desconhecidos, é importante estar aberta, observar, ouvir. Nada de se sentar em uma mesa para almoçar e ficar o tempo todo no celular! Não sinta vergonha por estar sozinha, não se preocupe com o que os outros podem estar pensando. Peça alguém para tirar uma foto sua, pergunte uma informação. Levante a cabeça, veja as pessoas, o ambiente.

Isso vale para qualquer situação. Certamente pode ajudar no processo de aproximação de outras pessoas e, ainda que isso não aconteça, vai fazer você absorver mais do local e voltar com mais bagagem.

Imagem de StockSnap por Pixabay

5. Lidar com o medo

Quem espera o medo ir embora corre o risco de ficar esperando para sempre e nunca agir. Então o jeito é aprender a lidar com ele. Tem um conselho famoso que circula pela internet e que faz todo o sentido: vai e, se der medo, vai com medo mesmo. Coragem não é ausência do medo, é fazer apesar do medo. Leve os seus para dar uma volta pelo mundo e vá deixando alguns pelo caminho.

Mulheres que viajam sozinhas

Arquivo Pessoal

Um ponto positivo para as mulheres viajantes é que está cada vez mais comum. Há grandes chances de você encontrar outras mulheres viajando da mesma forma. Isso significa, também, que os lugares estão ficando mais preparados para receber esse tipo de público, embora ainda haja muito o que melhorar.

No Brasil, o comportamento é crescente e vem se tornando uma tendência. Um levantamento do Ministério do Turismo mostrou que quase 20% das mulheres preferem viajar sozinhas. Isso tem a ver com o atual momento em que tanto se fala de empoderamento feminino, com mulheres cada vez mais independentes e seguras de si.

E é bom ver também que a sociedade está mais aberta e buscando criar meninas mais fortes, ao contrário do que acontecia nas gerações passadas (na minha e possivelmente na sua também), em que meninas eram consideradas frágeis, em que tudo levava a entender que não conseguiríamos superar nossos medos ou que tudo “é assim mesmo”. Não é. Se um dia foi, já está deixando de ser. Meninas podem tudo, precisam ter sua coragem incentivada, sua força valorizada, precisam crescer sabendo que têm potencial e capacidade para fazerem tudo o que desejam. Para estar onde quiser. Em qualquer lugar! Vamos?

@ load more