Quais desses temas você mais curte? Vamos fazer uma seleção especial pra você!










O que você procura?

A verdade é que não existe uma vacina que vai te imunizar contra esse mal e evitar que em algum momento da sua vida você passe por algo assim. Muitas mulheres não sabem que vivenciaram ou que vivenciam uma relação abusiva.

Eu, por exemplo, sempre me considerei uma mulher empoderada que sabia exatamente o que queria e que tipo de relacionamento esperar. Tinha em mente tudo que seria aceitável e o que jamais me submeteria dentro de uma relação.

Quando saía com amigas e falávamos sobre relacionamento, ouvia relatos que considerava absurdos. Sempre me questionava como minha amiga inteligente, decidida e linda, aquela pessoa que eu considerava maravilhosa podia viver e compartilhar a vida com alguém que a destratava de tal maneira e que demonstrava claramente não dar a mínima para o ser iluminado que ele tinha ao lado.

Como ela poderia aturar tudo aquilo e ainda estar apaixonada e sofrer tanto por não ser correspondida dentro daquele relacionamento? Eu nunca me imaginei passando por algo similar.

Em um primeiro momento quando se pensa em relação abusiva você imagina violência física, mas também sabemos o que existe a violência psicológica. Aquela relação que tem o poder de destrinchar o seu emocional e causar feridas difíceis de serem cicatrizadas e que causam marcas além da pele e para uma vida toda.

Mas tinha algo sobre relações abusivas e relacionamentos tóxicos que eu não sabia até sentir na própria pele e ver com meus próprios olhos. 

Os relacionamentos não são abusivos nos primeiros encontros

No início você é maravilhosa e o seu parceiro é um príncipe, o cara ideal, ele elogia o seu cabelo e diz que você é divertida, tudo são flores e você acredita que encontrou sua alma gêmea.

Eu já me senti assim, só que com passar do tempo as atitudes tendem a se transformar, no início parecia tudo perfeito, mas aí algumas coisas começaram a destoar.

Ele questionava a aparência do meu cabelo que antes já havia elogiado e eu vivia tentando mudar para agradá-lo. Em outros momentos eu era alguém desinteressante e meu jeito o desagradava e causava incômodo.

Uma certa vez, depois de ficarmos juntos, tomei um banho, lavei o cabelo tirei a maquiagem e tive que ouvir a seguinte frase:

“Nossa você chega aqui toda princesinha e sai daqui desse jeito? Acabada? Quando sua mãe te vê chegando em casa assim, ela não te fala nada?”

Naquele dia eu desabei. Cheguei em casa me achando horrível, sentindo nojo de mim. Não consegui nem encarar o meu reflexo, não quis nem me olhar no espelho, fiquei devastada.

Todos os comentários com um tom ácido de brincadeira, mas que foram se repetindo com uma certa frequência e causando marcas.

Comecei a odiar o meu cabelo, pois ele fazia comentários desagradáveis. Em outros momentos ele insinuava que eu não estava só com ele, vivia dizendo que eu tinha vários caras. Me sentia horrível e ficava imaginando o que eu estava fazendo de errado para que causasse essa imagem.

Eu sempre demonstrava querer compromisso, como ele podia imaginar algo assim? Me dedicava a ele e sempre me sentia muito triste, não conseguia entender o que estava acontecendo.

Em alguns momentos ele era tão doce e atencioso, mas em determinadas situações se desfazia de mim, não levava a sério o que eu dizia e nem considerava o que era importante para mim.

Quando a gente se via eu não conseguia mais estabelecer um diálogo, acreditava que ele iria me julgar, pois me sentia julgada o tempo inteiro. Era o meu jeito ou a forma que falava, nada para ele estava bom. Ele não me assumia e eu sentia que ele tinha vergonha de estar comigo.

Eu vivia tentando recuperar os momentos bons e sempre pensava que aquele cara do início da relação um dia poderia voltar e que talvez aquilo fosse apenas uma fase.

Esse é o ponto que faz uma relação abusiva se perpetuar por tanto tempo.

https://media.giphy.com/media/lp8Bchlpia9mQnhj9o/giphy-downsized.gif

Eu me olhava com culpa e me questionava em que momento daquela relação eu tinha me transformado em alguém tão superficial, incapaz de prender a atenção de quem eu amava.

Eu que sempre me amei, me cuidei e me valorizei. Com o tempo aquele relacionamento me deixou doente.

Me sentia fraca e sem perspectiva, odiando o meu reflexo e me sentindo incapaz. Incapaz de conseguir algo melhor de tanto ser destratada e ouvir que eu era desinteressante. Ao ser tratada como alguém sem valor, comecei a acreditar.

A minha aparência começou a me incomodar, perdi o meu amor próprio nesse caminho e vivia refém de uma relação que só me causava infelicidade. Toda vez que saíamos juntos, ao chegar em casa eu chorava.

Quando a relação chegou ao fim, eu não soube enxergar o bem que isso iria me fazer. Então eu sofri, chorei e me senti devastada. Todos aqueles abusos tinham me impregnado e eu não conseguia enxergar a mulher maravilhosa que eu era.

Coloquei em minha mente que somente ele foi capaz de me aceitar com todos aqueles defeitos – que ele mesmo vivia apontando – e mesmo assim não havia suportado, pois não assumiu um relacionamento comigo e eu estava ali abandonada.

A verdade é que só quem já vivenciou algo assim sabe o quanto é doloroso e destrutivo. O quanto são imensas as feridas abertas e o quanto é difícil a jornada para se reencontrar e se reconectar com a mulher que existe dentro de você.  

Comecei a fazer terapia, queria encontrar novamente a minha essência. A daquela garota doce e destemida que eu admirava quando olhava no espelho.

Comecei a me olhar com mais amor e compreensão e entendi que eu não tinha culpa por aquele relacionamento ter dado errado. Me abracei e me perdoei por ter permitido que alguém me destratasse daquela forma.

Absorvi tudo que eu vivi com sabedoria e me ergui novamente, vi a mulher foda que eu era e que o meu único erro foi ter permitido que alguém me convencesse do contrário.

Descobri que nenhuma amor pode diminuir o amor que você tem por si mesma. E se, por acaso, alguém tentar abalar as estruturas desse amor, essa pessoa não merece estar ao seu lado.

Descobri pela dor que o amor não te faz se sentir inferior, que ele vem para complementar e acrescentar, para que você se sinta melhor do que já é.

Coloque sua relação na balança. Ela precisa estar equilibrada e a felicidade tem que se destacar e sobressair. Caso contrário tem algo errado aí.

Bem, meninas esse é o meu depoimento. Resolvi compartilhar quando chegasse o momento certo, acredito que não sou a única a vivenciar algo assim. Sei o quanto é difícil se levantar, mas a verdade é que toda força está dentro de você e só você é capaz de resgatar. Procure ajuda!

Imagem: Reprodução / YouTube

@ load more