Quais desses temas você mais curte? Vamos fazer uma seleção especial pra você!










O que você procura?

Passamos a vida inteira tentando atender à todas as expectativas que são jogadas em cima de nós. Somos diariamente bombardeados por uma sociedade, amigos e familiares que insistem em nos dizer o tempo todo quando, como e o que devemos fazer para ser aceitos e bem quistos nesse mundo de aparências.

A lista do “tem-que-ser” é massacrante e infinita. E não há quem escape dela, seja na nossa própria cobrança em ser bem-sucedido no trabalho (leia mais aqui). Ou na cara feia do outro a hora que vê suas tatuagens, ou ainda, quando descobrem que você adora beber uma cervejinha com os amigos pra esfriar a cabeça.

E isso se estende à todas as áreas da sua vida. Você não namora, mas tem um relacionamento mais bacana que muito namoro por aí? Tá errado. Chegou até os quarenta e não casou? Se casou três vezes? Errado! Não quer ficar com ninguém ou quer ficar com todo mundo? Prefere ir ao cinema sozinho? Também não está certo não.

Leia o livro. Veja o filme. Não beba tanto. Saia menos. Tampe esse decote. Não dê. Mas também não seja mal-comida. Seja magra. Fique musculoso. Troque de carro. Não chore. Tenha um emprego que você odeie, mas que pague suas contas no fim do mês. Fale trinta e sete idiomas mesmo que você não tenha tempo nem para dar bom dia ao porteiro do seu prédio. Se rodeie de pseudo-amigos, apesar de sempre se sentir sozinho e nunca ter com quem contar.

Finja que esqueceu, que não sente, que não doeu. Não é bonito demonstrar fraqueza. Sorria. Trate bem quem fala mal de você pelas costas. E se force a entrar em um novo relacionamento para mostrar para o mundo que você virou a página. Não conte a ninguém do amor que você ainda não esqueceu. Engula seus sentimentos e cumpra o seu papel em meio a essa normalidade morna, onde ser você mesmo é quase uma afronta.

A verdade é que não importa o quanto você esteja feliz e satisfeito com a vida que leva, se ela não seguir o padrão do que as pessoas acham certo… Aí, meu amigo, já era (leia mais aqui). Enxurradas de palpites e julgamentos cruéis disfarçados de opiniões. Basta um pequeno deslize fora da bolha do socialmente aceito que a patrulha da sinceridade entra em ação.

Pessoas que não sabem o que fazer com suas próprias vidas apontando o dedo na cara do outro. Uma turma de infelizes que julgam suas decisões por não terem coragem o suficiente para tomá-las. Chega! Chega de passar a mão na cabeça de quem te sacaneia. Frejat cantou e eu assino embaixo. Já está na hora de colocarmos um fim nessas bocas que nos cospem lições de moral a todo momento. Peguem suas verdades e certezas absolutas e se mandem daqui.

Eu não quero viver para agradar quem não é capaz de me respeitar. E te convido a fazer o mesmo. Por você, pela sua paz de espírito e por esse mundo maluco que ainda é palco desse monte de gente que insiste em cagar regra em nossas vidas. Por todos, eu te digo com o ar libertador de quem demorou muito, mas agora já aprendeu isso: Você não precisa ser o que esperam de você (leia mais aqui). Be whatever you want!

Imagem: Sisters Suit Case

@ load more